Reino Unido tem boom em cirurgia estética

Harley Street

O segundo  semestre de  2021 foi bem diferente  do ano anterior. Mesmo em plena pandemia, O Reino Unido teve boom em cirurgia estética. Muitas  desses pacientes vieram de outros países do continente europeu. No entanto, outros viram no WFH (working from home) uma vantagem e a hora de realizar  procedimentos cuja recuperação é mais demorada. Sendo assim, um dos procedimentos mais realizados foi lifting facial e pescoço.


Mas, por que fazer uma cirurgia plástica em plena pandemia? De acordo com os dados levantados nas clínicas da Harley Street (famosa localidade secular que se concentram a classe médica de Londres), os pacientes decidiram fazer uma cirurgia estética nesse período porque não seriam questionados pelos colegas de trabalho.


Segundo o cirurgião facial Julian de Silva,  a clínica que ele trabalha registrou um aumento de 22% no número de pacientes nos últimos seis meses de 2021. É importante lembrar que o segundo semestre de 2021 houve uma flexibilização porque a maioria dos moradores do Reino Unido já tinha tomado vacina e a pandemia estava sob controle.


Desse modo, mesmo com a flexibilização, o trabalho em casa continua valendo na capital do Reino Unido. Isto torna mais propício realizar procedimentos cuja recuperação demora mais, pois são mais invasivos. Além disso, o fato de não ser inquirido sobre o procedimento também foi o terceiro motivo para as clínicas receberem tantos pacientes. E aí está o porquê o Reino Unido termina 2021 com um boom em cirurgia estética.

O WFH (Working from Home) foi o maior responsável pelo boom de cirurgias estéticas no Reino Unido

Após uma década


De acordo com o Dr. Silva, que dirige o Centro de Cirurgia Plástica e Cosmética Facial Avançada, a Harley Street teve seu ano mais movimentado após uma década, com um aumento de 15% nos casos depois que as restrições de bloqueio foram abrandadas no ano passado.

Muitos dos pacientes vieram do exterior motivados pela flexibilização. Em uma comparação com os demais países da Europa, o Reino Unido recebeu mais gente. A diretora de finanças Simona Suiogan, 48 anos, fez seis procedimentos, incluindo levantamento de rosto, pescoço e sobrancelha. “Senti que parecia velha e queria algo para me animar no meu aniversário. Gostei do fato de poder trabalhar em casa enquanto me recuperava. Foi ótimo porque pude descansar também enquanto meu corpo desinchava. As mudanças de trabalho trazidas pela Covid definitivamente tornaram tudo mais fácil.”

A rival

A rival de Harley Street é Knightsbridge, outro centro de clínicas de cirurgias estéticas.  De acordo com a cirurgiã plástica Judy Todd, houve uma demanda maior o que a manteve também bem ocupada. “O número de pacientes e a procura por tratamentos estéticos aumentaram bem mais de 20% no ano passado”.

Para a cirurgiã Judy Todd, as procuras foram regulares ao longo do ano de 2021. “Ao contrário do que acontecia durante a temporada de férias, quando os pacientes queriam ocultar qualquer tipo de procedimento e era impossível, 2021 foi um período capaz de guardar segredos”.

E ao que parece ,o clima de segredo é por outros motivos também. “Quanto a aparência, não se faz mais procedimentos como em 2010 que o rosto  parecia artificial. A tendência é definir uma aparência sutilmente renovada. Os pacientes não querem que seja óbvio que eles fizeram alguma cirurgia.  Tem que ser uma sutileza  mostrar o lado mais  jovem de cada um”, garante Todd.

Fonte: Evining Standard